quarta-feira, 15 de junho de 2011

Sobre eclipses lunares

Passei boa parte do dia tentando encher um contêiner com entulho e papéis velhos. A papelada deu trabalho. São páginas e mais páginas guardadas há mais de 10 anos. Papers e monografias, estudos, textos esparsos, rabiscos, provas, rascunhos, anotações e um monte de coisas que ficaram guardados em caixas plásticas no quartinho da garagem do antigo apê.

Durante todo esse tempo nunca precisamos sequer de uma única folhinha da pequena montanha que juntamos. Mesmo assim, examinei criteriosamente todas as folhas para evitar jogar fora algum certificado ou coisa aproveitável.

Também foi necessário picotar e destruir alguns papéis. Depois de uma hora com a picotadora que peguei emprestado com a minha irmã, desisti de filetar os papéis. É uma picotadora antiga, tive que usar um transformador para 110V. Se eu colocasse mais de cinco folhas de uma vez, a máquina emperrava. Isso aconteceu uma porção de vezes.

Depois eu resolvi que seria mais rápido queimar os papéis. É lógico que estava errado. As folhas ainda estão queimando na lareira enquanto escrevo. Existe uma grossa camada de cinzas. Basta remover a camada com cuidado para descobrir lá no fundo os fantásticos maços de folhas de papel em brasa.

Amanhã de manhã as brasas continuarão a existir sob a grossa camada de cinzas. Espero conseguir limpar a lareira e colocar as cinzas no contêiner antes que o caminhão o recolha.

Não sei nada sobre eclipses lunares.

2 comentários:

pevê disse...

Pô Careca, então a culpa é sua!
Nenhum vôo saindo da cidade
foi liberado por causa de uma densa fumaça que vem lá dos lados das mansões dos cheios-da-grana... sacanagem!

Careca disse...

Pevê, devem ser os vizinhos queimando dinheiro! Por esses lados é cheio de líder sindical aposentado!

Frase do dia


Ocorreu um erro neste gadget