segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Bonita e triste com criança



Tedeschi Trucks Band - Bound for Glory

Perdi a cerimônia do Oscar. Não foi por falta de vontade, foi por excesso de sono mesmo. Todos os anos eu me preparo intensamente para assistir a entrega das estatuetas. Eu corro atrás dos filmes candidatos nos cinemas. Decoro a lista de filmes e atrizes indicadas. Vejo quem está concorrendo ao melhor roteiro. Gravo pelo menos uma música dos filmes concorrentes. E como pipocas também.

Mas esse ano foi diferente. Fiquei alheio a tudo, observei muito de longe quem era candidato a isso e aquilo. Nunca tinha ouvido falar de "O Artista" e a verdade é que não quis assistir ao filme do Scorcese. Vi o trailler, li uns artigos nas revitas e coisa e tal, cheguei a planejar uma ida ao cinema, mas mudei de idéia depois que conversei com o meu irmão.

_Você gostou do Hugo? - eu disse.

_Muito. É uma história muito bonita e triste - ele disse.

_Muito triste?

_É emocionante.

_Você chorou? - eu perguntei.

_Mas disfarcei bem. Nem minha mulher percebeu - ele disse.

_Então não posso ir. Eu choro demais em filme triste, não tem como disfarçar. Passo vergonha. Minha mulher chega a fingir que não me conhece. Choro até em animação. Naquele desenho, Wall-E, eu até derramei refrigerante na minha camisa para ninguém perceber que ela já estava toda molhada de lágrimas. Estava com os olhos tão vermelhos que dois policiais no shopping vieram me dar um bacolejo enquanto eu soluçava. Foi uma tristeza. Mas em Toy Story 3 foi pior ainda, alguém do auditório chamou os bombeiros, tive que espantar os paramédicos com pontapés, quase me aplicam um sossega-leão. Agora eu só assisto animações depois que alguém lá de casa já fez um test-drive e não lacrimejou muito.

_Esse é triste, mas nem tanto - disse o meu irmão.

_Mas tem criança. Acho uma apelação filme triste com criança, eu me acabo, não dá, não tem jeito. Lembro de ver "O Campeão", estrelado pelo pai da Angelina Jolie. Tinha um garoto no filme que abria o berreiro a toda hora. E eu ia junto. Todo ano tem história bonita e triste concorrendo ao Oscar, mas só leva a estatueta os que têm criança no meio. Lembra de A Vida é Bela, com o Roberto Benigni? Pois então. É uma fórmula antiga, começou com o Chaplin, não caio mais nessa. Vou alugar o vídeo do Hugo e chorar em casa, numa boa. Eu me conheço. Ainda mais que é filme do Scorcese, que me faz chorar desde Taxi Driver, que tinha a Jodie Foster ainda menina. É muita emoção, bro, eu sou manteiga derretida em filme com história bonita e triste com criança.

2 comentários:

JGould disse...

Pô! então o Careca é capaz de chorar em "The Iron Lady"? Vão achar que vc é argentino e está triste devido as Falklands.

Careca disse...

JGould, dizem que ela passava roupa bem à beça. E eu gosto das argentinas, pena que elas me chamavam de boludo. E quanto às Falklands, acho que deveriam fazer um plebiscito com as morsas(walrus) de lá.

Frase do dia


Ocorreu um erro neste gadget