quarta-feira, 7 de novembro de 2007

Raios cósmicos



_Se você fosse um super-herói, você seria qual? – ele me perguntou, com muita seriedade.
E como ele só tem quatro anos, eu não poderia responder qualquer coisa. Não senhor, aquele era um assunto importante e ele com certeza se lembraria da resposta por muitos anos. Tentei ganhar tempo e devolvi a pergunta.
_ E você, seria qual super-herói?
_Super-homem, é claro.
_Mas o Super-Homem é um alienígena. Não é desse planeta. Ele veio do Planeta Kripton, que acabou destruído durante uma guerra, numa chuva de meteoros.
_O Super-Homem veio de outro planeta?
_Sim. Ele veio de outro planeta, que nem existe mais.
_E o Batman?
_O que tem o Batman?
_Também é de outro planeta?
_Não. O Batman é terráqueo. Ele vive em Gotham City, uma cidade que fica nos Estados Unidos, eu acho.
_E o Flash?
_O Flash também é da Terra.
_E o Robin?
_É da Terra, da mesma cidade que o Batman.
_E o Mutano?
_Esse eu não conheço.
_Ele é verde. Vira tigre. Vira elefante. Vira (Tiranossauro) Rex
_Esse eu não sei.
_E tem a Estelar.
_Com esse nome, só pode ser de outro planeta.
_Igual ao Super-Homem?
_Igual.
_E você, pai? Seria qual?
_Mutano.
_Sério?
_Sério – eu disse. Mas percebi que ele ficou triste. Eu havia falado alguma coisa errado.
_Quer trocar comigo? Eu sou o Super-Homem você fica sendo o Mutano.
_Não dá. Agora é tarde demais.
_O que houve?Por quê é tarde demais?
_Por causa de todos os raios cósmicos. O Mutano não pode me salvar. Nem se ele virasse Rex.
_Então eu viro, eu sou outro herói. O Batman. Ele sempre arruma uma maneira de salvar outros, até o Super.
Mas ele fechou os olhos devagar, como se estivesse perdendo as forças, antes de soltar um suspiro que parecia final e deixar a mãozinha cair, dramaticamente. Eu o contemplei durante uns trinta segundos e fui assaltado por todos os meus medos e apreensões em relação ao futuro. Escondi o rosto para que não visse as minhas lágrimas assim que se levantou, com um grande sorriso. Depois ficamos em silêncio. Meu Deus, eu peço todos os dias, me ajude a arrumar, bem depressa, um escudo, uma vacina, qualquer coisa. Mas não adianta nada, eu sei. Afinal, o que podemos fazer contra todos os raios cósmicos?!

Nenhum comentário:

Frase do dia


Ocorreu um erro neste gadget