quinta-feira, 19 de abril de 2012

Dia do bom selvagem



Children Collide - Sword to a Gunfight

No Dia do ìndio, meus filhos não viram os índios na escola. Estavam na maior expectativa, mas só quem apareceu foi um sujeito que trabalha na FUNAI.

_Ele disse que estava ali representando os índios - falou o meu filho.

_Caramba, os intermediários chegaram até as efemérides! - eu pensei.

_Nossa, se essa moda pega, no dia das mães enviaremos o obstetra - eu disse.

_O quê? - ele disse.

_No dia das mães, eu vou representar a sua mãe - eu disse.

_Não, pai, se você for eu não vou cantar pra você - ele disse.

_Estou só brincando. Sua mãe adora o dia das mães na escola - eu disse.

No almoço, meu filho me disse que os índios aproveitam a natureza racionalmente, utilizam ao máximo os recursos naturais, blá, blá, blá.

_Filho, os índios são nômades. Isso significa que eles esgotam a comida de um território e se mudam para outro. E índio é gente. Tem índio inteligente, tem índio bocó, tem índio que faz besteira, tem índio que sabe usar bem os recursos naturais. Tem índio rico e tem índio que passa fome e vive doente.

_Mas pai, os índios preservam a natureza.

_E nós também. É só cada um fazer a sua parte - eu disse.

À tarde, nós pesquisamos sobre Hans Staden e Cunhambebe, o grande guerreiro tupinambá.

_Ele era antropófago! Comia partes dos corpos dos inimigos para absorver as suas qualidades - leu o meu filho.

Fez uma careta.

Nenhum comentário:

Frase do dia


Ocorreu um erro neste gadget